Abrigo Solidário acolhe seis pessoas em situação de rua na noite mais fria do ano em Mogi Guaçu

MOGI GUAÇU

Devido à queda brusca de temperatura, a Prefeitura de Mogi Guaçu, por meio de um Grupo de Força Tarefa, promove nesta semana uma ação de acolhimento das pessoas em situação de rua. E para atender esse público foi montado temporariamente um Abrigo Solidário, que fica no antigo prédio da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Profª Maria Lucia Guilhaumon Fonseca, na Vila Paraíso.

 

A ação segue a Lei Federal 12.608/2012, que institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil (PNPDEC) e a Lei Complementar 1.547, de 16/05/2023, que institui na cidade o Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil de Mogi Guaçu.

 

O trabalho começou nesta segunda-feira, 1º de julho, quando foram abordadas 17 pessoas. Deste total, apenas seis delas aceitaram o atendimento para o Abrigo Solidário. O local tem capacidade para acolher 60 pessoas por noite e oferece jantar e café da manhã, além de cobertores. O atendimento começa às 17h e termina às 7h do dia seguinte.

 

“O lugar serve para atender pessoas em situação de vulnerabilidade devido à previsão de temperaturas mínimas nos próximos dias. Segundo o relatório emitido pela Estação Meteorológica de Mogi Guaçu, a sensação de frio será intensa, o que motivou a montagem do abrigo”, explicou o secretário de Segurança, Elzio Romualdo.

 

De acordo com ele, o acolhimento será feito durante o período de baixas temperaturas no município previsto para permanecer até a próxima quinta-feira, 4 de julho. “Nossas equipes realizam o trabalho no horário das 17h às 23h. As pessoas têm a liberdade de aceitar ou não o acolhimento. No abrigo, as que aceitam o atendimento recebem colchões, cobertores e refeições gratuitas”, disse ele ao destacar que “se o frio persistir, o trabalho será prorrogado por quanto tempo ainda for necessário”.

 

Temperatura

A Defesa Civil de Mogi Guaçu orienta toda a população sobre as baixas temperaturas que atingirão a região. De acordo com o Centro de 

Gerenciamento de Emergências (CGE), as mínimas tendem a ficar na casa dos 9°C nas noites e madrugadas desta semana.

 

“A queda abrupta de temperatura intensifica a sensação de frio, aumentando o risco de incidentes e danos à saúde. No frio extremo, as pessoas podem sofrer de hipotermia e, devido à diminuição das chuvas e redução da umidade relativa do ar, há um aumento das doenças respiratórias. Crianças e idosos são mais suscetíveis às doenças agravadas pelo frio, sendo essencial mantê-los agasalhados”, falou o secretário de Segurança.

 

A ação é um esforço conjunto das Secretarias Municipais de Segurança e de Assistência Social, Defesa Civil de Mogi Guaçu, dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), e pela Equipe Segurança, Cidadania e Acolhimento (Esca).

 

Comentários

Arquivo de Notícias
Publicidade
Categorias